Catedral Imperial de Petrópolis


A Catedral de São Pedro de Alcântara, também conhecida como Catedral Imperial, localizada no centro histórico de Petrópolis, região serrana do estado do Rio de Janeiro, prepara-se para ganhar nova roupagem, o que deve contribuir para aumentar o fluxo turístico na cidade. O prédio da igreja, que foi incluído no plano de urbanização da cidade pelo imperador Pedro II e sua filha, a princesa Isabel, começou a ser construído em 1884 e foi inaugurado em 29 de novembro de 1925. O edifício passará agora por obras de restauração externa e interna.

“A catedral precisava passar por essa reforma porque apresenta estrutura que deve ser aberta para o público com toda a segurança”, disse à Agência Brasil o bispo da Mitra Diocesana de Petrópolis, dom Gregório Paixão. A Paróquia São Pedro de Alcântara é a gestora direta do patrimônio cultural do projeto de restauração da catedral, que tem apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), com recursos não reembolsáveis do Fundo Cultural da instituição, no valor de R$ 13,1 milhões. A participação do BNDES representa 98% do investimento global, de R$ 13,4 milhões.

Dom Gregório Paixão ressaltou que se trata da restauração de um monumento que faz parte da história do Brasil e destacou um aspecto importante na construção da catedral. Segundo o bispo, foi uma obra que teve continuidade “por força muito forte das mulheres daquele período [Império], que a levaram adiante. Por isso, a obra tem também um viés da importância da presença feminina, que foi capaz de construir um prédio que, depois, se tornou um símbolo da cidade e um símbolo nacional”.